Skip to content

Fotógrafos IMS

REL_SergioM_Home

RELANCE

O sorriso de Beira-Mar

No dia 11 de setembro de 2002, o traficante Fernandinho Beira-Mar, do Comando Vermelho, liderou uma rebelião no Complexo Penitenciário de Bangu que resultou na morte de quatro bandidos de uma facção rival, entre eles Ernaldo Pinto Medeiros, o Uê, que tiveram seus corpos incinerados. No dia seguinte, o fotógrafo Sérgio Moraes, da Reuters, foi ao local e, por uma fresta no muro do presídio, registrou o momento em que o traficante coça a barriga e sorri, como que celebrando os assassinatos da véspera. Sérgio fala sobre os bastidores de sua “foto de estimação”, que foi finalista do prêmio Esso e chegou a ser publicada em vários veículos do Brasil e do exterior.

FOTO HISTÓRICA

Um fotógrafo no front

O fotojornalista carioca Felipe Dana, da agência Associated Press, vencedor do prêmio Pulitzer, fala sobre os desafios de cobrir a guerra na Ucrânia e diz: “Em qualquer conflito que cobri, a grande vítima é sempre a população civil.” Entre as cenas registradas por ele está a que mostra um homem pedalando após um ataque russo em Kharkiv, em 2022.
Um homem passa de bicicleta por lojas e casas em chamas após um ataque russo em Kharkiv. Foto de Felipe Dana/AP - 2022

FOTÓGRAFOS

Convidados

IMAGEM PENSADA

Infância roubada

Moradora do Complexo do Alemão, Selma Souza fala sobre a foto que fez de crianças chorando no enterro de Thiago Menezes Flausino, de 13 anos, morto por PMs. A imagem da fotógrafa do jornal Voz das Comunidades viralizou e foi compartilhada por gente como Xuxa, Claudia Abreu, Laerte, Péricles e Itamar Vieira Junior. Ela só conseguiu fazer dois registros: “Depois não tive mais condições. Saí dali e comecei a chorar. Não fiz para explorar, fui levada pela emoção. O som dos choros e dos gritos de desespero não saem da minha cabeça.”

VIDA LONGA

Entrevista com Evandro Teixeira

Um dos mais celebrados fotojornalistas do Brasil relembra sua trajetória de quase 70 anos de profissão. Autor de imagens icônicas da história do país, Evandro Teixeira, que tem José Medeiros como sua maior influência, ganhou vários prêmios, participou de diversas exposições e lançou livros como “Fotojornalismo” e “Canudos, 100 anos”.