Skip to content

EM FOCO

Márcia Foletto

Santa Maria, Rio Grande do Sul, 1970
EQUIPE TESTEMUNHA OCULAR

Com graduação em Jornalismo, a gaúcha Márcia Foletto começou a trabalhar como fotógrafa aos 18 anos, passando por vários jornais diários do sul do Brasil. Desde 1991 integra a equipe do jornal O Globo, no Rio de Janeiro, participando de coberturas jornalísticas importantes, como a Eco-92, a chacina de Vigário Geral, em 1993, os desastres de Mariana, em 2015, e de Brumadinho, em 2019. Atualmente trabalha na produção de reportagens especiais e fotografa o dia a dia da cidade.

Recebeu prêmios nacionais e internacionais, entre eles o Prêmio Petrobrás de Fotojornalismo, em 2017, com uma série sobre o desastre de Mariana, e o Prêmio Rey de Espanha, em 2016, com uma foto da série Os Miseráveis, que retratou o aumento da pobreza no estado do Rio de Janeiro.

Teve seus trabalhos expostos em coletivas no Museu do Catete, no Museu do Amanhã, no Centro Cultural da Justiça Federal e no Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Em 2006, Márcia apresentou uma retrospectiva do seu trabalho na exposição Quando o Ofício Encontra A Arte, no Centro Cultural Oi Futuro, e, em 2012, realizou a exposição Sonata,  no Centro Cultural da Justiça Federal, ambas individuais no Rio de Janeiro.

 

Crianças são revistadas por soldados do Exército em Botafogo, durante operação das Forças Armadas. Rio de Janeiro, 1994. O Globo